A 1ª pergunta QUANTO CUSTA o seguro de RC?

Quanto custa o seguro de Responsabilidade Civil, essa é a pergunta Nº 1 quando se fala nessa modalidade de seguro.

 

Seguindo uma linha de estar no foco do cliente esse texto falará um pouco sobre a PRINCIPAL dúvida dos clientes quando falam de Seguro de Responsabilidade Civil.

 

Segundo pesquisas realizadas no GOOGLE. Saber o preço, quanto Custa o seguro de responsabilidade civil, como vou pagar, etc., são as primeira questões dos interessados.

 

Apesar de não pensar ser a melhor forma de tomar uma decisão. Admitimos que o segurado não deixa de ter razão ao levar o preço em consideração.

 

Em todas nossas decisões nos preocupamos primeiro se teremos condições para arcar com despesa do seguro, para em posteriormente um estudo do produto em si.

 

Bom a resposta a questão “quanto custa o seguro de RC”, acima de tudo leva consideração vários fatores e os principais são:

Riscos e profissão

Abaixo os itens que mais impactam no preço do seguro de Responsabilidade Civil Profissional.

 

1) Os Riscos envolvidos nas atividades profissionais, por exemplo se o este(a) é um esteticista ou um(a) cirurgião plástico;

 

2) A cobertura escolhida pelo segurado,

 

Grande crescimento

O Ramo de seguros de seguros de Responsabilidade Civil vem crescendo em grande escala em 2019 ele acumulou um crescimento de 18,4%.

Apesar da desaceleração da economia os profissionais tem encontrado nessa modalidade de seguros uma forma de se proteger de riscos materiais e morais.

 

Mais qual o segredo para esse crescimento?

Cada dia mais as seguradoras tem investido em marketing e no treinamento de corretores que se especializaram nesse nicho.

A Forcecure tem desenhado uma estratégia para essa divulgação e atendimento dos clientes.

Revelar o quanto custa o seguro de rc exatamente também tem sido um fato que ajuda as pessoas a tomar suas decisões.

Além desses fatores acresce-se o fato da internet ter ganho força, e com isso a automatização dos processos de contratação.

 

Nesse sentido criamos um simulador que pode ajudar você a ter uma noção de preço, e com isso até mesmo seguir com o inicio da contratação.

Você o encontra no link ao lado. Caso ainda tenha dúvida é só chamar nossa equipe.

Agora esta pronto para se Após fazer a simulação deixe um comentário aqui para sabermos sobre sua experiência.

Coberturas do Seguro

Custos de defesa

Cobre honorários advocatícios e despesas com perícia para defesa nas esferas civil, criminal e administrativa.

Por danos materiais, moral, corporal e estético.

Despesas com indenização

Importância devida pela condenação judicial.

Acordos

Acordos judiciais ou extrajudiciais, mediante aprovação da seguradora.

Despesas Emergênciais

Reembolso de despesas realizadas pelo segurado em situações emergenciais, para tentar evitar e/ou diminuir os danos causados a terceiros.

Chefe de equipe

Proteção caso seja demandado em função do seu cargo de chefe de equipe, por danos a terceiros, em decorrência de falha profissional na área de saúde.

foto do artigo seria essa condenação por erro médico correta

Seria essa condenação por erro médico correta?

A princípio, nesse artigo abordaremos um caso ocorrido na cidade de Diadema fato esse relatado pelo portal do UOL no dia 16/11/2020 com a seguinte manchete “Gestante descobre que feto em sua barriga estava morto a 5 meses”. Gostaríamos de ter a participação de voces para responder a pergunta “Seria essa condenação por erro médico correta?”.

De antemão, apesar da manchete levar a entender que ela descobriu sozinha no decorrer da matéria percebe-se que ela tinha um acompanhamento médico.

 

Nesse meio tempo em suas consultas iniciais ela reclamava de dores, apesar disso o médico entendia que o quadro era normal, por se tratar de uma gestação com pouco liquido amniótico.

 

Posteriormente no sétimo mês de gravidez ela sentiu fortes dores abdominais e sangramentos intensos. Novamente ao voltar ao hospital foi informada que seu bebe estava bem sendo prescrita a ela apenas uma pomada que iria parar com a hemorragia.

Nesse momento se inicia o risco de condenação por erro médico.

O retorno

Tendo em vista que os sintomas não passaram a gestante exigiu exames e em uma ultrassonografia descobriu-se que o feto já estava morto há 22 semanas.

 

Nesse caso devido ao feto ter falecido na décima semana de gestação ele foi retirado do útero da ex-gestante e em seguida jogado em um aterro sanitário.

 

Tendo assim nascido, não poderia ter uma certidão de nascimento para que a mãe pudesse realizar seu sepultamento.

 

Assim pelo erro médico e a negligencia no período pré-natal o poder publico foi condenado assim ao pagamento da condenação por erro médico através de uma  indenização de R$ 150.000.

 

Essa matéria nos leva a pensar se essa condenação por erro médico esta correta ou não, acima de tudo porque muitos fatores deveriam ser levados em consideração.

 

Todavia por não atuar na área médica não tenho condições de dar uma opinião que não seja apenas superficial.

Prejuízos decorrentes desse tipo de condenação por erro médico.

Situações como  citada acima são cada vez mais recorrentes no Brasil, segundo dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) a cada hora se registra 3 ações por erro médico.

Trabalhar na área da saúde tem se tornado cada vez mais perigoso, ainda mais com a judicialização dessa área.

Com o aumento expressivo de advogados no Brasil, eles tentam buscar novos nichos de atuação, e muitos deles sabendo do potencial financeiro da condenação por erro médico acabaram se especializando na área de saúde.

Hoje existem propagandas na internet de advogados angariando clientes que supostamente teriam sido prejudicados por algum profissional da área da saúde.

 

Nossa Especialidade

Nossa empresa é especializada em buscar para vocês meios que possam protegê-los ou minimizar a perda em casos de condenação por erro médico. Por exemplo através de seguros de Responsabilidade Civil Profissional

Esse tipo de instrumento apesar de estar no mercado a um bom tempo, ainda tem baixa penetração na área da saúde. Muito seria pela falta de conhecimento das coberturas e valores a ser investidos.

Dessa forma gostaríamos de usar este exemplo para descrever quais coberturas seriam acionadas nesse caso, ou seja ajuda-los a entender melhor o que fazemos;

AVISO DE SINISTRO

A partir do momento que o médico sabe de uma possível condenação por erro médico ele aciona nossa corretora que aciona a seguradora.

SEGURADORA ENTRA EM CONTATO COM A CLIENTE

A partir da informação anterior a seguradora entra em contato com a cliente que possivelmente ira entrar com a ação e verifica a pretensão dela.

TENTATIVA DE ACORDO

Visando encerrar o processo e tentando evitar uma condenação por erro médico, rapidamente para não causar stress entre as partes e impacto a imagem do médico a seguradora tenta chegar em um acordo com a cliente.

DEFESA JUDICIAL

Caso o acordo não seja possível o médico tem duas opções, escolher seu próprio advogado para elaborar sua defesa ou utilizar o jurídico da seguradora.
Lembrando que nos dois casos a seguradora arca com as despesas.

PAGAMENTO DE CONDENAÇÃO

Caso o médico tenha sido condenado como no caso acima a seguradora fará o pagamento da indenização no lugar do médico.
Além das despesas da condenação todas as outras despesas inerentes ao processo são de responsabilidade da seguradora.

O que acharam disso, não vale a pena se proteger? Seria essa condenação por erro médico correta?

 

Cote agora mesmo meu seguro Online e conte com nossos especialistas para sanar suas dúvidas

3 ações por erro médico por hora

 

 

3 Ações por erro médico a cada hora no Brasil, esse terror deveria estar em suas preocupações?

A medicina tem passado por grandes transformações em ritmo cada vez mais acelerado, junto a isso o erro médico. Dessa forma a relação Médico-paciente deixa de ter uma proximidade.

Atualmente os paciente esperam que seus direitos dentre eles o da informação e o da autonomia sejam respeitados.

O advento da Internet também tem contribuído para que os pacientes se sintam cada vez mais empoderados na busca de seus direitos.

Incidentes envolvendo erros médicos, infelizmente, são mais comuns do que gostaríamos.

 

De acordo com o Segundo Anuário de Segurança Hospitalar no Brasil, do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), 54.076 pessoas morreram em 2017 devido a má conduta profissional.

 

Conforme o documento, a cada hora seis pessoas são vítimas de eventos adversos originados por erro de diagnóstico ou negligência médica no Brasil.

 

Assim sendo, o volume de ações na Justiça tem crescido na mesma proporção que os erros e também se relacionando com um quadro mais geral de judicialização da saúde.

 

A saber, este é o nome dado a crescente busca, por parte de cidadãos ao judiciário, como alternativa para garantia de acesso a saúde.

 

Por exemplo por remédios ou tratamentos – o que, por sua vez, esbarra nas limitações de orçamento do Governo ou no planejamento de empresas privadas no ramo.

 

Para refletir

Por óbvio esses profissionais tiveram suas vidas pessoais, psicológicas e financeiras aterrorizadas, tendo em vista que processos são verdadeiras guerras.

 

A propósito, a dúvida que surge é se estes profissionais estariam preparados para situações como esta.

 

No Brasil a educação financeira não é primordial, por isso boa parte da população busca a sobrevivência no dia a dia.

 

De maneira idêntica, em seguros isso também ocorre e vemos o seguro como uma despesa. Assim não raramente os clientes afastam os consultores que poderiam lhe ajudar nessas proteções.

E você poderia parar um pouco para pensar nisso?

Imagine sendo processado por erro médico, seria uma experiência horrível não seria? Já imaginou o perigo iminente que você esta correndo?

 

Dessa forma para ajudar vou fazer algumas perguntas:

 

1) Você tem em sua agenda telefônica o telefone de um advogado especialista em erro médico?

 

2) Você tem alguém que cuidaria da sua imagem, caso o cliente resolvesse expor seu caso ferindo a sua imagem em decorrência de um erro médico?

 

3) É provável que você estaria preparado para negociar com seu cliente com segurança?

 

4) Em caso de condenação você teria recursos necessários para pagar seu cliente ou teria que se desfazer de seu patrimônio?

 

Bom se as respostas foram negativas para a maioria das perguntas acredito que podemos lhe ajudar, pois existe um seguro voltado para erro médico que resolverá os problemas que podem ter surgido em sua mente.

 

1) Caso você não tenha um advogado a seguradora tem um corpo jurídico especializado, mas caso você tenha poderá acioná-lo e a seguradora ira pagar as despesas que tiver com ele.

 

2) A seguradora tem um setor específico notável para tratar de sua reputação entrando em contato com os órgãos de comunicação caso seja necessário.

 

3) O primeiro passo que a seguradora irá dar é tentar um acordo com seu cliente o que fortalece sua imagem.

 

4) No caso de condenação por erro médico a seguradora irá arcar com a condenação deixando você livre de risco.

Você deve estar se perguntando: Quanto-custa?

Através de nosso simulador On-Line você pode ter em segundos o valor de seu seguro e a contratação também é on-line.

Caso precise nossa equipe de especialistas esta a disposição para tirar suas dúvidas.

Quer saber como reduzir a causa da sua insônia eliminando um dos motivos que a causa?

Pois é vou mostrar para você empreendedor ou profissional liberal que existem maneiras de dormir melhor. Reduza a causa da sua insônia já.

Deixe-me adivinhar.

Você chega em casa depois de um plantão daqueles, nem consegue aproveitar a família devido ao cansaço. Põe a cabeça no travesseiro e logo as preocupações aparecem:

  • Vida Familiar

  • Preocupações com Funcionários

  • Finanças do Consultório

  • Saúde Financeira Particular ( se voce for um dos que separam as contas)

  • Saúde de seus pacientes e resultado de seus tratamentos.

Então sabe que não pode mais continuar nessa situação, pois no outro dia a falta de sono gerará stress e você chegará ao final do dia acabado. Mas o que fazer? Reduza a causa da sua insônia já.

Como Eliminar um desses motivos?

Tal qual vocês também sou um empreendedor no Brasil, um proprietário para não dizer “própriotário” de uma empresa, após uma fase de 20 anos como funcionário de uma grande seguradora.

Nesse meio tempo como funcionário e muitas vezes preposto via riscos inerentes ao negócio diariamente, com erros de funcionários, má fé de terceiros e até decisões injustas em todas esferas jurídicas.

Também me peguei acordado a noite preocupado se algum de meus prepostos cometeu algum erro que pudesse comprometer meu patrimônio e dessa forma perder tudo o que conquistei e até mesmo a sobrevivência de minhas filhas e uma voz lá no fundo me dizia “reduza a causa da sua insônia”

Foi então que percebi que sempre estive de frente para a solução do problema e sei que ambos podemos concordar ser um dos que mais gera angústia e mal estar, qual seja : A RESPONSABILIDADE CIVIL.

cliente pedindo pare

Fique comigo agora!!

Ao escutar o termo Responsabilidade Civil o que lhe vem a cabeça?

A minha com certeza vem algo muito sombrio.

 

De acordo com o Direito Brasileiro, a responsabilidade civil é toda ação ou omissão que gera dano a outrem.

 

Mas o que isso significa? Para tanto devemos recorrer a história, assim entendendo melhor o termo e seu real sentido.

 

Nos primórdios da raça humana qualquer ato danoso praticado contra outra pessoa era revidado por vingança na mesma moeda, por conseguinte surgiu a expressão e nossa primeira curiosidade:

 

1) “Olho por olho, dente por dente”.

Ora imaginem a cena seu filho quebrando a janela de seu vizinho e como resultado seu vizinho pronto para quebrar a sua, conseguem imaginar isso hoje em dia?

 

Outro exemplo que chegou a ocorrer foi o desabamento de uma casa matando o filho do proprietário, de tal forma que o proprietário matou o filho do engenheiro, bizarro não?

 

Nessa época sentiu-se a necessidade de um controle sobre essas penalidades, e em Roma o poder público passou a ser o legitimo detentor dessa responsabilização.

 

2) Início da utilização da Culpa

 

Naquela época não se olhava a culpa do causador do dano, isto é de qualquer forma ele tinha que indenizar, apesar do controle jurídico estar nas mãos do governo.

 

O estado por vezes permanecia inerte só dizendo quando e como seria o direito de punição da vítima, quando seu papel deveria ser o de ajudar a pessoa a reduza a causa da sua insônia.

 

Após isso houve um período da composição, com o intuito da vítima reparar o dano com seus bens e não mais com seu corpo, também a proibição do ofendido de fazer justiça com suas próprias mãos.

 

3) Lei Aquiliana

Antes de mais nada, confesso não ser muito formal em minha escrita, portanto vou tentar traduzir o que esta Lei significou.

 

Essa lei foi aprovada no final do século III ou no início do século II a.c, possibilitando o pagamento da penalidade em dinheiro com base na culpa do autor do dano, ou seja, quanto maior a culpa maior a reparação.

 

4) Requisitos

Certamente não há de se falar em resp. civil sem todos os elementos, quais sejam: Ação ou Omissão, Dano, Nexo Causal, Culpa

 

Ação ou Omissão: Não são todos os atos passiveis de ensejar a responsabilidade, mas somente aqueles que possam causar dano, mesmo sendo legais ou não. Ex. Atos praticados com abuso de direito.

 

Dano: O dano é essencial para a reparação e esse deve ser comprovado pelo autor na maioria das vezes, ele pode ter cunho patrimonial ou moral. Pode ser um dano emergente (o que se perdeu) ou lucro cessante (o que se deixou de ganhar).

 

Nexo Causal: é o que une a ação ou omissão ao dano, é por meio dele que se chega ao causador do dano. Em alguns casos a lei elencou hipóteses em que independe de nexo causal haja a responsabilidade. Ex. Caso de responsabilidade por terceiros.

 

Culpa: A culpa é a conduta voluntária contraria ao dever de cuidado imposto pelo Direito com a produção de de um evento danoso involuntário, porem previsto ou previsível. Falta de diligência se traduz por desprezo. Importante ressaltar que o “dolo” é entendido como uma forma de culpa.

 

A culpa se dá com: Imprudência, Negligência ou Imperícia

 

Fonte: https://ambitojuridico.com.br/cadernos/direito-civil/evolucao-historica-e-pressupostos-da-responsabilidade-civil/

Foi então que isso me atingiu, estava perdendo noites de sono á toa e até não cumprindo meu papel de fazer com que você reduza a causa da sua insônia.

A fim de exemplificar vou dar o nosso caso como exemplo.

Nossa empresa (Grupo Forcecure) tem clientes e funcionários, todos os dias emitimos apólices de seguros.

 

Analisem que cada apólice tem vários tipos de cláusulas que preenchidas de forma errada pode gerar danos aos clientes, que por sua vez virão cobrar os prejuízos de nosso empresa.

 

Imaginem, uma casa avaliada em R$ 1 milhão que tem seu sinistro negado por uma falha nossa, de forma drástica isso consumiria grande parte de nosso (meu) capital fora a dor de cabeça com processos e advogados.

 

Muitas vezes podia sentir todo o esforço de mais de 20 anos indo embora, ou o risco que minhas filhas poderiam passar por causa de uma condenação.

 

Sem dúvida, para nós corretores esse é o principal risco, como vocês suamos muito a camisa para conseguir o pão de cada dia.

 

Felizmente havia uma solução simples chamada Seguro de Resp. Civil Profissional onde em caso de erro a Seguradora defende nossa empresa além de arcar com as despesas de condenação, era tudo que precisávamos.

 

Como se isso não bastasse o preço desse seguro é muito menor que seguros de automóveis ou outras modalidades.

gatinho assustado porqe encontrou uma maneira de reduzir sua insonia

Incrível não é?

Sem dúvida, resolvemos um grande problema por um valor pequeno e por esse motivo a voz que dizia “reduza a causa da sua insônia” quase sumiu de minha cabeça.

 

Quase posso ouvir você pensando, “mas ele é corretor e não sabia disso” e tenho que reconhecer que não, pois como falei no início trabalhei 20 anos em uma seguradora, mas o que não falei é que não atuava com esse tipo de seguro.

 

Desde então iniciamos um trabalho de divulgação aos profissionais liberais sobre essa modalidade de seguro, hoje somos especializados e nossos clientes já não tem mais insônia pelo menos por esse motivo.

 

Sabemos das dificuldades em falar com vocês profissionais da saúde, mas nossa persistência em levar uma consultoria de qualidade para voces é grande, Infelizmente em alguns casos chegamos tarde como em nossa matéria https://forcecure.com.br/3-acoes-por-erro-medico-a-cada-hora/ que fala sobre a quantidade de ações contra profissionais da área da saúde.

E você?

 

Ficou com Desejo de conhecer esse seguro que lhe protege e reduza a causa da sua insônia, é provável que queira saber o custo então ai vai, só para ter uma ideia o valor mínimo dele é R$ 333,19 por ano, ou seja menos que R$ 28 por mês.

 

Deixe-me dizer como simular, acesse nosso o link ao lado, e em caso de dúvidas é só chamar nossa equipe no whatsapp, que estaremos prontos para ajudá-lo.

 

Por fim se possível deixe nos comentários se esse era um tema que fazia você dormir menos. E desde já REDUZA A CAUSA DA SUA INSÔNIA.